© 2018 por Curso de Verão - www.cursodeverao.com

Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular - CESEEP

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon

CESEEP

CNPJ: 52.027.398/0001-53

Av. Brigadeiro Luís Antônio, 993, Sala 205
CEP: 01317-001 – São Paulo, SP – Brasil

Cancelamento, sugestões ou reclamações

Tel/Fax: (55 11) 3105-1680 / 3241-1169        

WhatsApp: (011) 98657-0643

Segunda a Sexta das 9h às 18h

Email: ceseep@ceseep.org.br

verao@ceseep.org.br

Fique atento a data dos eventos, os ingressos chegarão ao seu e-mail, confirmando o pagamento caso isso não ocorra entre em contato conosco. Confira nossa política de troca e devolução aqui.

Restrito

Exposição de jovens em medida socioeducativa é destaque na 33ª edição do Curso de Verão


Foto: José Iago

“Favela, só quem te conhece por dentro pode te entender”. A frase do músico Arlindo Cruz ganhou destaque no Curso de Verão deste ano, realizado pelo CESEEP (Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular). A edição começou no último dia 8 e vai até quinta-feira, dia 16, nas dependências da PUC-SP.


Dentro das atividades desenvolvidas, a entidade trabalha a questão da exclusão da chamada ‘favela’ do cenário urbano. O tema vem sendo discutido entre cursistas da Tenda (oficina) Juventude e Direitos, que marca seu terceiro ano de existência no Curso.


Entre as propostas, está a reflexão e análise de uma exposição de fotos feitas por jovens em medida socioeducativa e organizada pela ONG (Organização Não Governamental) Ação Educativa. Intitulada “Quebrada”, a exposição traz registros do cotidiano de favelas da grande São Paulo, com a finalidade de mostrar a simplicidade de um povo imerso em desigualdade social, mas que escreve a sua própria história em suas diversas formas de saber.


“Como o Curso tem esta proposta de reflexão sobre o verdadeiro conceito de cidade, tendo a inclusão como objeto de estudo, achamos válido apresentar aos cursistas esta exposição, que traz este olhar de pessoas que vivem na favela, além de valorizar a iniciativa que busca a inclusão”, disse o monitor da Tenda, José Nildo.


A abordagem ainda vem de encontro com o tema desta edição do Curso de Verão - “Espiritualidades na Cidade: por uma dimensão libertadora” - onde se discute sobre a espiritualidade neste território que, entre tantos desafios, sobrevive sob os efeitos de uma sociedade carregada de pré-conceitos. “A favela também tem a sua espiritualidade, embora tenha uma relação de vida diferenciada da cidade urbanizada”, concluiu Nildo.


Equipe de Comunicação

Mônica Santos



18 visualizações